Fotos de José Ezelino- 1889- 1952

w15.jpgb

José Ezelino da Costa

 

w1.jpgb

Anna das Dores -(sobrinha)

 

w2.jpgb

Maria de Lourdes ( sobrinha)

w37-Editar-2

Matilde Maria das Dores ( irmã)

w19-Editar-Editar

Bertuleza Maria da Conceição ( mãe)

Anúncios

Exposição: Quando a pele incendeia a memória-nasce um fotógrafo no sertão do século XIX

José Ezelino da Costa

Homem negro, brasileiríssimo, nascido em 1889, em pleno sertão do Rio Grande do Norte, no sítio Umbuzeiro, nos arredores de Caicó, uma cidade de sociedade predominantemente branca. Tornou-se fotógrafo e músico. Tocava instrumentos de sopro e tinha paixão pelo jazz e pela Música Sacra. Filho de Bertuleza Maria da Conceição, uma escrava, foi o primeiro fotógrafo negro do sertão do Seridó.

 

IMG-20170830-WA0039

20170906_203709

20170922_103638

20170922_103416

20170906_204059

20170922_103430

20170922_103615

20170922_103442

IMG-20170906-WA0047

20170906_202641

Descendentes de José Ezelino ( sobrinha-neta e sobrinha bisneta).

Exposição realizada no mês de setembro de 2017- no Natal Shopping. Patrocinada pelo Grupo Vila- Morada da Paz.

 

Lampião ganhou o mundo

Este é um texto ficcional composto mais de imagens do que palavras.

 

Estamos exatamente em 2017. Lampião ( 1898-1938) após todos esses anos de morte se sentindo cansado das paisagens do nordeste que tanto pisou, pediu autorização aos anjos para voltar à terra. Não seria uma volta física ou espiritual. Apenas um desejo antigo de expandir sua fama. Como de costume, ele voltou com o mesmo hábito, isto é, de roubar, saquear, surrupiar, menos matar (por esse pecado ele já pagou).

 

Lampião como o diabo gosta

 

Sem Título-1.jpg2w.jpgbb

Sem Título-1.jpg4f

Sem Título-1.jpg3g

Sem Título-1.jpg4z

Aviso aos autores de imagens, proprietários de direitos autorais, vivos ou mortos, isto é apenas metaforicamente um roubo de Lampião. Nada vai além do terreno da arte, da mentira, do sonho, do desejo (dele) de se misturar aos melhores ou viver como eles. Lampião aprendeu a viver exatamente assim. Segundo seus historiadores foi um sujeito vaidoso, gostava de objetos caros, como joias, perfumes e boas bebidas. Saqueava, ficava o que achava que era de direito seu e de resto distribuía, ajudava aos mais necessitados.

Nessa sua rápida volta, não poderia ser diferente. Ele escolheu grandes artistas e fotógrafos para se embrenhar em suas imagens, exatamente como adentrava no sertão.

Sem Título-1.jpg6b

Sem Título-1.jpg5t

Sem Título-1.jpg3r

 

Grande parte das fotografias aqui não são de minha autoria. Recolhi todas elas na internet e fui editando, juntando, sobrepondo fragmentos com a intenção de compor uma narrativa visual para dizer sobre o que indica o próprio título do trabalho:

” Lampião ganhou o mundo”.

Tive o desejo de provocar diálogos entre as imagens, de um lado datadas, anônimas, de Lampião e seu bando, de outro, imagens ícones de grandes artistas e fotógrafos (essas últimas não necessariamente sobre Lampião). De toda forma após a edição todas se tornaram um pouco pertencentes ao contexto do cangaço, mesmo percorrendo territórios mais estéticos do que sociais.

Assim foi surgindo imagens improváveis, tornando até o próprio cangaço insuficientemente realista, dada à multiplicidade de vínculos propostos por cada nova fotografia. Todas agora estabelecidas em territórios da subjetividade, próximas do que um dia o fotógrafo Joan Fontcuberta escreveu: “A fotografia é pura invenção. Toda fotografia. Sem exceções”.

Sem Título-1.jpg6v

Sem Título-1.jpg7y

Sem Título-1.jpg8b

Sem Título-1.jpgd

Fotógrafos citados:

 

Joel Peter Witkin- 1939-Nova York

Zaneli Muholi- 1944- África do Sul.

Pieter Hugo- 1976- Joanesburgo-África do Sul.

Gottfried Helnwein- 1948-Áustria

José Ezelino- 1889-1952-Caicó

Guilherme Santos -1871-1966-Rio de Janeiro

Luciano Carneiro- 1926-1959-Ceará

Orlando Azevedo- 1949- Açores-Portugal.

Tiago Santana- 1966- Crato- Ceará.

Miguel Rio Branco- 1946- Las Palmas de Gran Canaria, Espanha.

Graciela Iturbide- 1942- Cidade do México- México

Brassaï- 1899-1984- Romênia.

Arnold Newman – 1918-2006- Nova York- EUA.

Josef Koudelka- 1938- República Checa

Lewis Hine- 1874-1940- Wisconsin-EUA

Bruce Davidson- 1933-Oak Park- Illinois- EUA.

 

Sem Título-1.jpgde

Sem Título-1.jpgee

Sem Título-1.jpgj

Artistas citados:

Newton Navarro- 1928-1992-Natal

Aldemir Martins- 1922-2006-Ceará

Louise Bourgeois- 1911-2010-França.

Dorian Gray Caldas- 1930-2017-Natal

Candido Portinari- 1903-1962 – São Paulo.

Carybé- 1911-1997-Argentina

Azol – Sérgio Oliveira-Natal

Ronald “Ron” Mueck – 1958-Austria.

Magdalena Abakanowicz- 1930-2017- Polônia

 

Sem Título-1.jpgh

Sem Título-1.jpgz2

Sem Título-1.jpgp

Sem Título-1.jpgf4

Sem Título-3.jpg2w

Sem Título-1.jpgxx

Sem Título-1.jpgtt

Sem Título-1.jpgçç

Sem Título-3.jpg9i

Sem Título-1.jpgm

Sem Título-3.jpg8k

Sem Título-1.jpgz4

Sem Título-1.jpgu

Sem Título-1.jpgq

 

Créditos das imagens

 

1.(Joel Peter Witkin) http://www.artvalue.com/auctionresult–witkin-joel-peter-1939-usa-venus-and-cupid-the-caucasian-2470771.htm

 

2.(Zaneli Muholi-) http://africanah.org/zanele-muholi-new-work/

 

3.(Pieter Hugo) – https://br.pinterest.com/pin/444941638158911530/

 

4.(Pieter Hugo)- http://batona.net/12550-afrikanskie-hozyaeva-dikih-zhivotnyh-12-foto.html

 

5.(Gottfried Helnwein)- https://www.1stdibs.com/art/photography/gottfried-helnwein-arno-breker-holding-picture-joseph-beuys/id-a_68382/

 

  1. (Guilherme Santos)-A Hora e o lugar-vol1 Sergio Burgi e Samuel Titan Jr. {org} IMS- 2015.

 

  1. (Luciano Carneiro)- A Hora e o lugar-vol3 Sergio Burgi e Samuel Titan Jr. {org} IMS- 2015.

 

8.(Orlando Azevedo) –Olhares-coletivo de linguagens 2009-2012-iD Editora Cultural Ltda.,2015.página 51.

 

9.(Tiago Santana) – Olhares-coletivo de linguagens 2009-2012-iD Editora Cultural Ltda.,2015.página 79.

 

  1. ( Tiago Santana) – http://fotoempauta.com.br/tiago-santana/

 

11.( Miguel Rio Branco) -https://br.pinterest.com/pin/87116574021788059/

 

  1. (Graciela Iturbide)- http://www.gracielaiturbide.org/category/los-que-viven-en-la-arena/ (Graciela Iturbide) https://br.pinterest.com/pin/216313588330598625/

 

  1. (Brassaï)- https://br.pinterest.com/pin/107242034849336711/

 

  1. (Arnold Newman) – https://br.pinterest.com/pin/422494008772480658/

 

  1. ( Josef Koudelka) – http://catladiesproject.blogspot.com.br/2014/11/josef-koudelka.html

https://correodelasculturas.wordpress.com/2010/08/31/los-gitanos-de-josef-kudelka/

http://erickimphotography.com/blog/2014/01/30/street-photography-book-review-gypsies-by-josef-koudelk/

 

  1. ( Lewis Hine) – http://www.huffingtonpost.com/peter-dreier/the-radical-images-of-lew_b_5893064.html

 

  1. (Bruce Davidson)- https://www.moma.org/artists/1398?locale=en

Sem Título-3.jpg7j

Créditos de obras de Artistas

 

1.( Aldemir Martins) -http://www.arte.seed.pr.gov.br/modules/galeria/detalhe.php?foto=46&evento=1

http://www2.camara.leg.br/a-camara/visiteacamara/cultura-na-camara/museu/acervo/obras-de-arte/aldemir-martins

 

 

2.(Candido Portinari) – http://obviousmag.org/pintores-brasileiros/candido_portinari/os-temas-sociais-nas-obras-de-candido-portinari.html

 

3.Carybé- http://www.elfikurten.com.br/2011/02/arte-de-carybe-sua-paixao-pela-bahia.html

Sem Título-1.jpg5g

Sem Título-1.jpgb.jpgbb

 

 

Acervo de Artes do Sistema FIERN

Átrio estético

 

Em 2003, o Sistema FIERN, publicou o catálogo “Artes Plásticas- Acervo FIERN 50 Anos”, com uma mostra “Artistas norte-rio-grandense do Acervo da FIERN”. Hoje, em 2017, após quatorze anos, publica um novo catálogo com um registro atual, incorporando as novas aquisições. Confirmando assim a posição de um Acervo de Artes como documento estético vivo e dinâmico e também a representação da produção artística mais relevante do Estado.

O recorte proposto para exibição das obras foi um método mais híbrido e menos acadêmico, tentando criar outros vínculos, campo de correspondências e associações entre as obras. Assim, as agrupamos por temas, como: representação humana; paisagem e natureza; cidades e indústria; abstração e imaginário; mitos, religiosidade e imagens sacras. Além do acréscimo da categoria fotografia documental.

Evidente que as obras exibidas assim exigem de nós um convívio mais concentrado, porém, possível de culminar um prazer estético marcado com elementos fortes da cultura local. Além disso, cada trabalho, quanto mais autônomo do seu criador, mais possibilidades de múltiplas e outras leituras e interpretações, que podem se revelar surpreendentes, capazes de articular inteligibilidade discursivas, desafiando outros modos de entendimento da arte e do mundo.

Até porque de toda forma a arte ainda se afirma como um dos meios privilegiados de apreensão do mundo por sua potencialidade inerente de gerar reflexão, pensamento, beleza e conhecimento.

Vale salientar aqui que um Acervo de tamanha amplitude traz indiscutivelmente também a formação de um imaginário visual sobre a cidade de Natal, a representação de sua natureza, paisagens, personagens, questões sociais e culturais que sinalizam uma identidade. Sem o sentido de ser totalizante, ao contrário, é dinâmico, vivo, aberto a novas leituras e a reinvenção de cada novo olhar.

Angela Almeida- Curadoria

 

 

 

 

 

Exposição realizada no Solar Bela Vista-2017

Presidente do Sistema FIERN- Amaro Sales de Araújo

Gerente de Relações Públicas e Eventos do Sistema FIERN- Dodora Guedes

_DSC2501

 

_DSC2505

_DSC2507

_DSC2470

_DSC2537

_DSC2500

_DSC2544